Twitter

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

(in)Sensibilidade?


São exatamente 3:20 da manhã e eu estou aqui, pensando em quão menos sensível me tornei ao longo do tempo. Depois de um tempo me sentindo um "iceberg", notei que não sou uma insensível completa. Na verdade, não sou nenhum pouco. O que eu tento é me proteger. Todos os filmes, novelas e livros que são capazes de me emocionar, recebem uma entrega total do sentimento. Mas, quando o assunto são as pessoas "reais", a coisa muda de figura. Eu sei exatamente o momento em que mudei, e já deixo bem claro que não foi por um rapaz moreno alto bonito e sensual (sem vírgulas mesmo), o caso foi um pouco mais "familiar". A partir daquela história, eu passei a me proteger mais das pessoas. Mas pensando bem, será que me protejo mesmo? Sorrir, chorar, não dormir, tudo isso escondida tem algum valor? Esse pode ser o texto mais cheio de devaneios possíveis, pois, estou atordoada com minha própria maneira de sentir. Eu sou mais molenga que papinha de neném e tenho que ser forte everytime. Hoje, um amigo me disse que as mulheres se transformaram em homens de saias. Entretanto, será que não foram as imensas decepções, maldades, mentiras e a hipocrisia que destilaram nossa sensibilidade extrema e a nossa delicadeza? Não! Acredito que não somos homens de saias. Com base no ser errante que sou, vejo que por mais fortes que nós mulheres sejamos, por mais proteção que tentamos nos envolver, jamais deixaremos de ser "Manteigas derretidas passadas num bom pão francês", daquelas que só com o cheiro relembra o quanto as manhãs são belas, independentes da noite escura. Passadas num pão duro da vida, ou não, seremos eternamente SENSÍVEIS!
Enfim, descongelei!

Beijos calorosos e uma rara foto minha aqui!

4 comentários:

Dai disse...

Linda..temos uma persinalidade inconfundível e jamais podemos ser comparadas com homens.
Temos o sentimento, a sensibilidade como característica única e eles nunca as roubarão de nós.
Fico muito triste, pois sei que os durões, insensíveis e cruéis sempre se dão bem, nos deixando com uma sensação de inferioridade, mas devemos sim nos orgulhar de nossa personalidade.
Adorei o seu jeitinho, de verdade!

Muito obrigada pela sugestão lá no Sense...to realmente penando pra saber o que dou a ela...que está tão, tão distante de mim.
Grata pela ajuda..

Luan Iglesias disse...

Esse tipo de texto, minha amiga, revela quem realmente somos e o que realmente pensamos de nós mesmos. Acho fantástico que tu tenhas te posicionado de forma sensível. Afinal de contas, todo nós, enquanto seres humanos, carregamos um pouco de incertezas em nossas vidas. Logo, uma sensibilidade mútua.

Muitos homens não são capazes de revelar seu lado sensível por machismo, talvez. O que é uma pena; mas todos sabemos o quanto podemos nos emocionar, chorar, sorrir e ter insônia, tudo para poder refletir e achar a constatação mais próxima de nós. Ao menos naquele instante.

Um beijo carinhoso do teu eterno amigo.

M. disse...

Giuli, depois de ler o teu texto eu fiquei me perguntando se sou insensível, pq eu me protejo o tempo todo. Foram muitas decepções para abrir a guarda apenas por um sorriso ou meia dúzias de palavras bonitas.
E no meu caso tb não foi por um moreno alto bonito e sensual. rssr

Por outro lado, eu choro até com comercial de sabão em pó. srrsr

Acho que já encontrei a minha resposta: não sou insensível..apenas reservada. ;)

Bjossssssssssssssssss!!

Manoel disse...

Olá, muito obrigado pelo seu carinho em relação ao meu blog (Colunna), espero estar proporcionando uma boa leitura :D

Bjsss, Manoel